Um  espaço composto por organizações da sociedade civil para fortalecer medidas de monitoramento, enfrentamento e recuperação dos efeitos da pandemia no Marajó
 

Em menos de 01 mês desde que o primeiro caso de COVID19 foi confirmado no Marajó, a região passou de 700 casos e chegou a 80 óbitos. Essa é uma média de mais de 20 novos casos e 2 óbitos por dia desde o dia 01.

 

O vírus se espalhou mais rápido pela ilha do que pela região metropolitana de Belém, mesmo que a população da metrópole seja 4x maior que a do arquipélago e vivendo em um adensamento urbano muito maior. Nos primeiros 40 dias, a cada dez que passavam, o número de pessoas com coronavírus no arquipélago dobrava. Esses números reforçam drástica consequência brasileira e global desta pandemia: o aprofundamento das desigualdades sociais e a intensificação das vulnerabilizações históricas.

Ainda assim, a desigualdade agrava ainda mais a situação de alguns municípios. 7 municípios do Marajó Ocidental, dentre os 16 municípios do arquipélago, concentram em torno de 70% dos casos e dos óbitos confirmados em todo o Marajó. São os 07 municípios estratégicos para o Gabinete: Afuá, Anajás, Bagre, Breves, Curralinho, Melgaço e Portel.

Acompanhamento e monitoramento dos dados

Acompanhe os dados do Marajó e acesse os documentos produzidos pelo Gabinete Popular de Crise do Marajó e pelas organizações parte

Denúncias de violações de direitos

Vamos encaminhar às autoridades públicas denúncias de violações de direitos de vítimas e pacientes de covid-19 e suas familiares

Agenda para a pandemia e o pós pandemia

Vamos apresentar uma agenda viável de proteção e recuperação para o Marajó para a pandemia e o momento seguinte

ações locais

Vamos apoiar 56 ações locais pelo Marajó de apoio às populações vulneráveis.

Conheça as ações selecionadas na 1a Chamada Aberta!

Memorial das vítimas

Estamos construindo um Memorial das vítimas fatais de covid-19 no Marajó

CARTA ABERTA ÀS PREFEITURAS DO MARAJÓ

COMPLEMENTAÇÃO E ABERTURA DOS DADOS DE CORONAVÍRUS NA REGIÃO

Em 14 de julho, o Gabinete Popular de Crise do Marajó enviou aos prefeitos e prefeitas do Marajó cara solicitando a complementação e abertura dos dados publicados de coronavírus nos municípios. A carta foi assinada por 59 organizações da sociedade civil marajoara, paraense e de atuação no território nacional.

 

conselho Nacional das Populações extrativistas